Terroir

Clima

Vinícola DiamAndes se beneficia de um clima ideal, temperado pela altitude. Situada na zona árida argentina, o clima é seco com precipitações anuais de 200 a 300 mm. As vinhas estão localizadas entre 1000 e 1200 metros acima do nível do mar e a umidade relativa é baixa, entre 40% e 60%.

Leia mais

Além disso, o clima é marcado por uma grande amplitude térmica entre o dia e a noite, o que favorece a concentração de taninos, condição fundamental para a produção de vinhos de alta qualidade.

Vignobles Bodega DiamAndes

Vinhedo

Ao lado da Cordilheira dos Andes, a uma altitude de 1100 m, a vinícola DiamAndes possui um terroir ideal: um clima temperado pela altitude e solos arenosos, com numerosos seixos, que permitem a expressão do grande Malbec, o rei varietal da Argentina

Leia mais

De origem aluvial, o solo é tecnicamente chamado de “Franco Areno Limoso” (equilíbrio entre areia, limo e argila). Esta composição está no primeiro metro de terra, dando lugar ao cascalho em profundidade.
De origem aluvial, o solo é tecnicamente chamado de “Franco Areno Limoso” (equilíbrio entre areia, limo e argila). Esta composição está no primeiro metro de terra, dando lugar ao cascalho em profundidade. 
A perfuração de vários poços de 190 m de profundidade permitiu alimentar um aqueduto subterrâneo. A água é assim de boa qualidade.
Vinícola DiamAndes tem um total de 130 hectares plantados, com a maioria das variedades de uvas tintas e 7 ha de Chardonnay e Viognier que vieram completar o vinhedo.

Conceito de viticultura sustentável

Com o apoio da equipe técnica de Malartic, a condução da vinha baseia-se na cultura sustentável e o cuidado integral do meio ambiente. Respeita o solo com o uso de cultivo e manejo responsáveis. Uso de fertilizantes naturais, uso racional de agroquímicos com biodegradabilidade de pesticidas. A saúde das vinhas geralmente é muito boa devido ao baixo regime de chuva.

Leia mais

Por este motivo, poucos tratamentos fitossanitários são realizados. O sistema de condução é em espaldeira, com orientação Norte-Sul das fileiras. A densidade da plantação é de 5.500 cepas por hectare e a poda é em duplo Guyot e Cordon de Royat . No vinhedo, tudo é feito a mão, para obter-se uma fruta com mais qualidade.
Uso racional da água de irrigação: a irrigação é aplicada pelo sistema de gotejamento e a estratégia baseia-se no conceito de déficit hídrico sustentável. A água chega com baixa pressão constante na entrada de cada parcela e permite a sua gestão personalizada. Isso também promove o enraizamento profundo. Além disso, as estações meteorológicas e as câmaras de pressão nos permitem monitorar o estado do estresse hídrico por zona. 
Nas variedades tintas aplica-se o déficit hídrico muito cedo, quer dizer, no perído do brotação (nouaison) até o pintor (veraison) com o objetivo de controlar o crescimento vegetativo e reduzir o tamanho das frutas para obter uma maior concentração aromática e polifenólica. No mesmo sentido aplica-se a vindima verde (vendange en vert) durante o pintor, conseguindo assim uma melhor distribuição e iluminação regular das frutas.
Os residuos orgânicos são reutilizados com a trituração dos sarmentos.

Variedades tintas: 130 hectares plantados com Malbec (64%), Cabernet Sauvignon (13%), Cabernet Franc (9%), Syrah (6%), Merlot (5%) e Petit Verdot (3%).  Variedades brancas: 7 hectares plantados com 72% Chardonnay e 28% Viognier.

WordPress Image Lightbox Plugin